Imagem de promoção do Beatles para Crianças
Fabio Freire e Gabriel Manetti em imagem do BPC (Reprodução)
Reportagem Especial

Professores do Beatles para Crianças aprendem com lives

linhaecho1_abovepost

Idealizado por profissionais que estão do lado de quem ensina, o Beatles para Crianças tem vivido uma fase de grande aprendizado. Dos diversos shows que o grupo fazia por todo o Brasil, os músicos agora vão se adaptando ao formado virtual, com lives em seu canal no Instagram.

“As primeiras foram esquisitas, porque termina a live e não tem ninguém vendo. É horroroso”

Fabio Freire

Há aproximadamente três meses, o BPC tem marcado presença diária em seu canal. ‘Eu não fiz as contas, mas devemos ter feito umas 12 lives mais elaboradinhas’, explica Fabio Freire, músico e um dos criadores do grupo.

Apesar de ter sofrido nas primeiras experiências, Fabio conta que a experiência foi melhorando, inclusive nas respostas de seu público. ‘Vamos pegando a manha de fazer na mesma vibe (dos shows ao vivo). Temos o feedback, pais que mandam vídeos das crianças em casa: se vestem, botam figurino para ver na TV ou no celular’, relata.

Mesmo virtualmente, o grupo mantém a interação com as crianças. ‘A gente fala para ir na janela fazer barulho de passarinho, e as crianças vão. Apaga a luz e vamos fazer luzinha do show. E as crianças fazem isso. Todo esse clima que a gente tem no show acabou virando para a live’, explica Fabio.

O músico conta até de algumas experiências engraçadas. Os músicos comentam sobre fotos e vídeos recebidos dos pais. ‘Percebemos que as crianças acham que as estávamos vendo. As crianças ouviam nosso comentário e falavam ele me viu‘, diverte-se.