Cena do clipe de 'I Can't Breath', do Black Pantera
Cena do clipe de 'I Can't Breath', do Black Pantera (Youtube)
Colunistas

Uma playlist para provar que o rock está vivo e muito bem

linhaecho1_abovepost

Meus pais não eram ‘roqueiros’. Minha mãe curtia Beatles, mas sempre foi mais para o pop do que para o rock. Já meu pai sempre foi da música clássica, orquestrada etc. Talvez por isso eu tenha começado um pouco tarde meu aprendizado. Mas, de qualquer forma, já faz bastante tempo.

São mais de 30 anos ouvindo, curtindo, conhecendo músicas, às vezes retornando no tempo, redescobrindo clássicos, me fechando para novidades, procurando apenas novidades, mas sempre bem acompanhado pelo rock’n’roll. Companhia para todos os momentos.

Pensei em montar uma playlist que lembrasse meus primeiros contatos, alguns mais pops, a virada para o punk, ‘descobertas’ como Pink Floyd e Led Zepelin, como se fossem a divindade máxima, e tantas outras. Mas mudei de ideia. Agradeço a cada um deles. Agora, porém, queria dizer outra coisa.

Há os famosos clichês opostos: ‘o rock morreu/o rock não morreu’. E, obviamente, eu vou ficar com esse segundo. O rock não morreu, continua vivo, e muito bem. E não é preciso recorrer a bandas gringas, apesar de muitas e excelentes, para isso. Esta é a ideia da playlist abaixo.

Selecionei apenas músicas lançadas entre 2019 e 2020. Ok, a última foi uma licença que eu me dei. As cinco primeiras são de 2020, começando com a pesada, no som e no tema, e fundamental I Can’t Breath, dos mineiros do Black Pantera.

A lista tem muita gente jovem, o que enche o coração de esperanças. Mas também alegra ver o Ira! lançando álbum novo com um som bacana demais. Outras bandas clássicas, Pin Ups e Autoramas também estão nesta playlist. Este último, aliás, foi a exceção: Sofas, Armchairs and Chairs foi lançada no álbum Libido, de 2018. Mas eu poderia deixar esses caras de fora nesta homenagem.

Espero que curtam!

Sobre o autor

Xandão

Zagueiro, roqueiro e jornalista. A ordem depende da situação.