Estreia do canal do Bem Rock no Youtube (Reprodução)
Estreia do canal do Bem Rock no Youtube (Reprodução)
Colunistas

Tirei uma preciosidade da estante para brincar no Youtube

Óculos de sol em oferta

Eu sou daqueles que usa pontuação, letras maiúsculas no início de frases e nada de abreviações que eu não use também oralmente. Por exemplo, até escrevo ‘belê’, mas nunca ‘vc’. Em nenhum lugar. Nem no WhatsApp e nem fazendo uma busca no Google.

Texto, áudio e vídeo estavam guardados naquela estante mais alta para evitar que crianças pudessem alcançar e estragar alguma dessas preciosidades do jornalismo, esse veterano. Bem, tirei um deles da estante e deixei uma criança brincar, o Youtube.

Na última semana, estimulado pelas Time Bomb Girls, gravei a primeira entrevista do Bem Rock em vídeo. E aproveitei para perder e a vergonha e criar um canal no Youtube mesmo não tendo uma grande produção. Aliás, ‘grande produção’? Eu deveria dizer praticamente nenhuma. Um pouco para fazer uma vinheta bem simples e só.

Depois de muito tempo pensando em como poderia fazer algo como um programa de TV, fui no esquema ‘é o que temos’. Uma coisa posso dizer, o papo com Déia Marine, Camila Lacerda e Sayuri Yamamoto, da Time Bomb Girls, foi bem divertido. Agradeço a elas pelo empurrão.

Aproveitando a onda, em breve teremos uma nova entrevista, desta vez com a banda Komodo Queens. E, quem sabe, novas ideias vão surgindo em breve. Inclusive em outros canais, como o Instagram, ou em áudio, como no Spotify ou Deezer.

Uma coisa é certa: em texto, áudio ou vídeo, espero continuar descobrindo e compartilhando com quem curte o Bem Rock novas bandas, novos sons e a sensação feliz de ver que o Rock continua muito bem de vida!

Falando em novidades, coloquei quatro músicas relativamente novas em minha playlist do Spotify: Sistema de Som(A), do Asfixia Social, Tell Me, das Time Bomb Girls, Let me Down, do Der Baum e I Would Murder Elvis for a Cigarette, do Komodo Queens.

Curta a lista, curta o Rock, curta o Bem Rock!

Sobre o autor

Xandão

Zagueiro, roqueiro e jornalista. A ordem depende da situação.