Detalhe da capa de Hate for Sale, The Pretenders
Detalhe da capa de Hate for Sale, The Pretenders (Reprodução)
Colunistas

Tão Pretenders! Sem espera, curtindo e dançando

linhaecho1_abovepost

Salve gatos e gatas!

Já começo com a ansiedade a mil! Por que eu vou esperar? Não, não e não!

Julho ainda está muito distante para mim. Principalmente o dia 17. Não vou aguentar chegar até lá para falar de Hate for Sale, o 11º e novo álbum da lendária banda The Pretenders.

Quero falar já. Afinal, era para esse lançamento já ter acontecido. Eles tiveram de atrasar em função da pandemia de Covid-19. Mais um motivo para odiar esse vírus.

Mas deixa isso para lá. O negócio é que já saíram alguns singles.

E eu só quero dançar e falar de Didn’t Want To Be This Lonely. Eu, obviamente, não me incomodo muito de ficar sozinha. Mas essa música é demais. Tão Pretenders!

Nada a ver com a pandemia, viu? A letra fala em alívio ao se afastar de um cara mala. Mas que ficar tão sozinha também não é legal assim.

Cara, e como é boa essa batida. Martin Chambers, baterista e fundador do grupo, está de volta, ainda bem! E isso é muito nítido. Aos 68 anos de idade, ainda marca com seu groove característico e não me deixa ficar parada.

A voz da Chrissie Hynde, também aos 68, parece estar um pouco mais grave. Mas ainda é incrível. Parceiro de Hynde na autoria de Hate for Sale, James Walbourne emplaca um daqueles solos de guitarra com todo o DNA de um bom rock’n’roll.

No esquema cada um em seu canto, eles conseguiram gravar um clipe bem bacana, inclusive com a letra da música. Então, chega de enrolação. Clique aí embaixo, veja o clipe e se prepare para dançar.

Beijos!

Sobre o autor

Sheena

Sheena gosta de falar o que pensa. Sem medo, sem travas, sem rótulos. E gosta ainda mais de curtir um bom rock'n'roll!